Subscrever Newsletter
 
Fundação António Quadros
Mecenato Cultural Imprimir e-mail

 

 

No dia 4 de Abril de 2016, a Fundação solicitou pela primeira vez a renovação da Declaração de Interesse Cultural, para efeitos de mecenato.

A Declaração foi consignada pelo Ministro da Cultura, Dr. João Soares, em relação ao projecto “Apoio à Investigação e Tratamento do Acervo Documental, Bibliográfico e Artístico –2016/2018”, iniciativa da responsabilidade da Fundação António Quadros, para efeitos de Mecenato Cultural, podendo este usufruir dos benefícios fiscais previstos na lei, desde que os respectivos mecenas não tenham dívidas de imposto sobre o rendimento, a despesa ou o património e de contribuições relativas à Segurança Social.

 

Em 2019, relativamente ao projecto «Apoio à Investigação, Tratamento e Divulgação do Acervo Documental, Bibliográfico e Artístico – 2019/2022», a Declaração de Interesse Cultural foi exarada pela Senhora Secretária de Estado da Cultura, Ângela Ferreira.

 

Este apoio de que a Fundação muito se orgulha constitui, antes de mais, uma homenagem à vida, personalidade e obra de António Quadros e de seus pais, Fernanda de Castro e António Ferro, mas comprova também o trabalho e empenho de quantos acreditam e trabalham na Fundação.

 

Assim, aos beneméritos que, através das suas doações financeiras, documentais, bibliográficas ou artísticas, contribuem de qualquer forma para os trabalhos da Fundação associados à investigação, ao tratamento e divulgação do Acervo Documental, Bibliográfico e Artístico, a Fundação passará um recibo correspondente aos seus donativos. Este reconhecimento (recibo) permitirá ao doador usufruir dos correspondentes benefícios fiscais. 

 


 

< Artigo anterior   Artigo seguinte >